Brincos e poncha

Vitor Silva - 07/02/2017 - 03:25

Brincos e poncha

Este ofício de cronista às vezes não é fácil. Ou é porque há falta de assuntos interessantes sobre que falar ou é porque são tantos, como é hoje o caso, que difícil se torna a escolha.

Passando os olhos pela imprensa fico a saber que a rainha Letícia, aqui da vizinha Espanha, numa cerimónia oficial, usou uns brincos portugueses. Está a indústria portuguesa de brincos de parabéns!

Mas, espera lá, os brincos só custam 5,99 Euros! 5,99 Euros! Bom, bom era que usasse aqueles bonitos e compridos brincos em ouro que lá pelo Minho se fabricam. Isso sim prestigiaria Portugal. Agora brincos de pechisbeque. Isto é um insulto ao nosso país. Penso que este é um assunto demasiado grave, para que o nosso governo questione o governo espanhol, em vez de nos andarmos a preocupar com coisas sem importância, como é aquela coisa da central nuclear de Almaraz.

Outra importante noticia que me passou diante dos olhos, tem a ver com aquela bebida tradicional da Madeira: a poncha. A poncha é uma bebida feita à base de rum de cana-de-açucar, a que se junta sumo de laranja ou limão e mel. Os efeitos devastadores de tal bebida, por quem a tome em excesso, são por demais conhecidos: é observar, por exemplo, como ficou o antigo presidente do governo regional, Alberto João Jardim.

Pois não é que alguns comerciantes sem escrúpulos andam a adulterar a poncha e em vez de rum estão a usar vodka? Decerto numa manobra dos serviços secretos russos do senhor Putin aliados aos cubanos do continente português e destinada a minar a economia da Madeira. Está mal! Vai daí que o Secretário Regional madeirense da agricultura tenha anunciado ser objetivo do seu governo a defesa da poncha regional. A partir de agora só será certificada a poncha feita com produtos regionais. Muito bem! "Podem embebedar-se, ou melhor, "emponchar-se" à vontade, mas com produtos cá da terra". Há que ser patriota.
Audio Player

COMENTE ESTE ARTIGO