Fazer com memória

Marcelo Guerreiro - 07/11/2016 - 06:11

Fazer com memória

Caras e Caros Ouvintes da Rádio Pax,

Nada como ter memória para podermos enfrentar o futuro com confiança.

Ter memória que em dez anos, a dívida do Município de Ourique diminuiu 73%.

Ter memória do que foram os últimos anos de governação do PSD e do CDS e do esforço que está a ser feito para devolver rendimentos e dignidade aos cidadãos, num caminho em que as Autarquias também participam ao abdicarem de receita a favor da redução da carga fiscal sobre as famílias.

E ter memória em relação aos que, tendo trabalhado uma vida inteira, têm agora direito a um descanso com dignidade e com oportunidades de contactar com novas realidades, os nossos idosos, a quem destinamos um conjunto de apoios sociais únicos.

Porque temos memória e gratidão com os nossos idosos, somamos aos apoios sociais, a realização de iniciativas de lazer como o cruzeiro no Guadiana ou a viagem ao Cristo-Rei em Almada, no próximo dia 11 de novembro.

A sabedoria, a frontalidade e o carinho destas mulheres e homens de Ourique com mais experiência de vida são um inspirador repositório das nossas tradições, da nossa forma de ser e da nossa identidade. São um suplemento de alma para fazer o que falta.

É também a pensar nas condições de vida dos Ouriquenses que temos realizado um conjunto de alcatroamentos em vários pontos do município, que prosseguimos com arranjos de caminhos rurais e de eletrificação e vamos avançar para vários projetos de requalificação urbana, no centro de Ourique e nas restantes freguesias. Tudo a pensar na valorização do nosso território e do nosso Mundo Rural.

Foi por isso que trabalhámos com o governo para garantir aos nossos criadores pecuários apoios para a reposição do potencial produtivo afetado pela seca severa, que continuamos a trabalhar para reforçar as respostas existentes na educação, na saúde e na proteção social.

Os sinais positivos de um Orçamento de Estado que aposta na reposição dos rendimentos e das pensões e das medidas do Plano Nacional para a Coesão Territorial têm de ter expressão concreta na vida das pessoas. Como procuramos fazer com a Presidência Aberta que acabámos de realizar em Garvão e vamos fazer nas que faltam em Ourique e na Conceição.

Com determinação continuamos a trabalhar nas políticas para as pessoas, na valorização do território e na afirmação de Ourique-Capital do Porco Alentejano.

Três notas finais

Uma nota nacional

Combater a burocracia e o centralismo continua a ser um bom caminho para que as boas intenções políticas e os recursos existentes no Portugal 2020, nos fundos comunitários, cheguem às pessoas e aos territórios. Só assim teremos mais crescimento económico. O Plano Nacional para a Coesão Territorial é um primeiro passo positivo.

Uma nota regional

Continua a haver quem queira resolver num ano ou dois, tudo o que de negativo foi sendo acumulado aos longo dos anos. São os mesmo que estiveram mais calmos nos anos dos governos PSD/CDS ou que sempre preferiram sublinhar problemas a resolvê-lo, mas agora têm responsabilidades na governação, têm de fazer opções como acontece nas nossas casas e nas instituições das nossas terras.

Uma nota local

Continuar a estar próximo, continuar a estar atento, continuar a fazer. É sempre um privilégio poder estar próximo dos Ouriquenses, ouvir e dar um contributo para resolver problemas, responder às necessidades das pessoas e intervir no território. E defender sempre Ourique e os Ouriquenses. Uns falam, nós continuamos a fazer.

Audio Player

COMENTE ESTE ARTIGO